Clima de Romance

 Clima de Romance

Destinos brasileiros para casais aventureiros, que curtem praia e sol ou o friozinho da serra, rendem experiências memoráveis para os apaixonados

Nada melhor que uma viagem a dois para registrar momentos marcantes que ficarão eternizados, sejam em belas fotos ou na mente. Abençoado por belezas naturais, o Brasil conta com paisagens surpreendentemente especiais para curtir e apreciar ao lado de seu amor, sem precisar ir muito longe para isso.

E há uma variedade de destinos, voltados para os mais diversos perfis de casais: na serra, com direito a friozinho e lareira, em praias de cenários paradisíacos, ilhas com vegetação rústica e isolada do agito, vilas charmosas com gastronomia requintada, e muito mais.

O Dia dos Namorados, em 12 de junho, aproxima-se, e para deixar a data ainda mais apaixonante, selecionamos alguns dos destinos brasileiros mais românticos para aproveitar juntinho da pessoa amada.

Monte Verde

Esta charmosa vila é distrito de Camanducaia, em Minas Gerais. Apesar disso, está mais próxima de São Paulo, a apenas 166 Km, do que da capital mineira, Belo Horizonte. Agraciada pelas paisagens magníficas da Serra da Mantiqueira, Monte Verde é cercada por picos, montanhas, matas, bosques de pinho, uma flora riquíssima e animais silvestres.

Independentemente da estação, a cidade possui um clima ameno o ano inteiro. Enquanto no inverno, as temperaturas podem bater os dez graus negativos, no restante do ano, os termômetros ficam em torno dos 24 °C. Em julho, acontece o Festival de Inverno de Monte Verde, com diversos espetáculos culturais de teatro, dança, música e circo. Nesta temporada, a cidade é movimentada por turistas para curtir o frio da Serra da Mantiqueira.

Isso a torna convidativa para casais que gostam de curtir o friozinho. Os hotéis e pousadas da cidade fazem disso algo oportuno para criar uma atmosfera ainda mais romântica. Uma programação comum por lá é ficar agarradinho em volta da lareira, comendo fondue e apreciando bons vinhos, cachaças e licores artesanais.

Monte Verde também é destino de ecoturismo, um prato cheio para casais aventureiros, com trilhas e parques de aventura que oferecem tirolesa, escalada, tours de mountain bike, passeios de quadriciclo e demais atividades de aventura.

O que não deixar de fazer e conhecer: O principal point da vila é a Avenida Monte Verde, o centro da cidade repleto de bares, restaurantes, galerias e grande parte do comércio. Vale a pena conhecer as chocolatarias, cervejarias e cachaçarias de produção artesanal que se concentram por lá.

Quando o assunto é natureza, trilha é o que não falta, sendo a Trilha da Pedra Redonda a mais visitada. Há desde trilhas de grau fácil, como a Trilha do Pinheiro Velho e Chapéu do Bispo, até as mais complicadas, como o Pico Selado.

Outras atrações – e que envolvem gelo – são o Ice Bar Monte Verde, com seu interior todo feito em gelo – esculturas, bancos, bancadas e até copos –, com temperatura chegando a 20 °C negativos; e a Patinação Monte Verde, uma pista de patinação no gelo que funciona o ano inteiro.

Serra da Mantiqueira

A partir de Gramado e Canela, é possível fazer um passeio de Maria Fumaça, conhecido como “Trem do Vinho”, que inicia seu percurso de 23 Km na cidade de Bento Gonçalves, seguindo por Garibaldi até Carlos Barbosa. Durante o trajeto, você vivencia a cultura local por meio de apresentações típicas italianas, degustação de vinhos, espumantes e sucos. 

Jericoacoara

Destino para casal que ama uma praia, Jericoacoara, apelidada carinhosamente por “Jeri”, é uma vila do Ceará que te apresenta os encantos do litoral nordestino.

A 300 Km de Fortaleza, é um lugar de belezas naturais singulares, popular para quem está em busca de sossego, com sol o ano inteiro e ambiente aconchegante e acolhedor. Embora o turismo seja seu ponto forte, Jeri consegue manter a essência de vila bucólica, o que garante um refúgio em meio à modernidade, rodeado por mar, dunas, lagoas e mangues.

Algumas das programações imperdíveis do lugar, além, claro, de aproveitar suas belas praias, são relaxar em suas redes em meio à água do mar, passar o dia em uma lagoa, fazer passeios animados de buggy, degustar as comidas e bebidas típicas em um restaurante pé na areia e apreciar um belo pôr do sol no finzinho de tarde nas dunas, que é de lei. À noite, Jeri ganha agito pelos bares, restaurantes e forrós.

O que não deixar de fazer e conhecer: Entre as praias, a praia central – Praia de Jericoacoara –, tem mar azul, águas mornas, ventos e ondas suaves. É nela que se encontram os kitesurfistas e as Dunas do Pôr do Sol, onde as pessoas se reúnem todo final de tarde para contemplar este espetáculo. É a praia com maior infraestrutura para os turistas, contando com bares e restaurantes, além de pousadas na orla. A Praia da Malhada também fica próxima à vila, sendo bem menos visitada, o que a torna ideal para quem prefere praias mais reservadas.

Os passeios pelo litoral leste te levam a conhecer algumas das principais atrações. A Árvore da Preguiça é uma árvore deitada pela ação do vento, que mais parece uma escultura planejada e é um ótimo cenário para fotos. Cartão-postal de Jeri, a Pedra Furada é uma formação rochosa em formato de arco, que também rende fotos incríveis. O Buraco Azul é a mais nova sensação da vila. Foi formado por escavações, que criaram um buraco profundo, com uma mãozinha da natureza, por meio de intensas chuvas que o preencheram transformando-o em uma enorme “piscina” com um intenso azul-turquesa.

Praia de Jericoacora

As lagoas são uma atração à parte. A principal delas é a Lagoa do Paraíso, que, geralmente, serve de parada para os turistas relaxarem nas suas tradicionais redes coloridas dentro da água e para almoçarem em algum de seus restaurantes. Um dos principais estabelecimentos por lá é o Alchymist, um clube de praia com estrutura completa.

• São Miguel dos Milagres (Alagoas)
• Fernando de Noronha (Pernambuco)
• Domingos Martins (Espírito Santo)
• Bonito (Mato Grosso do Sul)
• Campos do Jordão (São Paulo)
• Ilha do Mel (Paraná)

Gramado e Canela

Esta dobradinha na Serra Gaúcha proporciona uma verdadeira experiência romântica ao casal. As cidades vizinhas ficam a menos de 10 quilômetros de distância uma da outra, no Rio Grande do Sul, e garantem uma atmosfera europeia a qualquer viagem, sendo uma estância montanhosa com construções enxaimel, chalés alpinos, estabelecimentos especializados em fondues e chocolates.

O clima de romantismo já começa por suas acomodações. Há tanto opções mais afastadas do centro, com vista privilegiada para a serra, hotéis com infraestrutura completa com piscinas quentes e saunas, lareira e café da manhã colonial e até mesmo cabanas para que o casal tenha mais privacidade.

Em Gramado e Canela, é possível fazer piqueniques ao ar livre, tirar fotos em meio a belos cenários da natureza, ter um jantar romântico com música ao vivo, andar de Maria Fumaça e, inclusive, desbravar os cânions da região. Por falar em jantar, a gastronomia é bem diversificada. É claro que o clima – de romance e temperaturas – pede por fondues (doces e salgados), chocolates e muito vinho, visto que as cidades estão próximas a importantes regiões produtoras como o Vale do Vinhedos, famosa por suas vinícolas. Você pode tanto desfrutar de uma cozinha ao estilo cantina italiana quanto uma comida tradicional de noite gaúcha.

O que não deixar de fazer e conhecer: Não deixem de caminhar pelo centro de Gramado para conhecer algumas das principais atrações. Aqui, a Avenida Borges de Medeiros concentra importantes pontos da cidade, como as praças Leopoldo Rosenfeldt e a das Etnias, o Lago Joaquina Rita Bier, a igreja matriz São Pedro e muito mais, além de uma variedade de comércio e restaurantes.

Nesta avenida, algumas das programações imperdíveis para casal é a Fonte do Amor Eterno, inspirada na Fontana de Trevi de Roma, onde os “pombinhos” podem prender um cadeado colorido na grade e jogar a chave na fonte. A Rua Coberta também é parada obrigatória, fechada ao acesso de carros, permitindo desfrutar de um jantar romântico em um de seus restaurantes com tranquilidade. Ela também reserva algumas cafeterias charmosas e inúmeras lojas.

O Lago Negro é um convite para um piquenique a dois, sentados no gramado, apreciando a vista dos pinheiros e sua bela vegetação. Ainda, no final da tarde, é possível andar de pedalinho em formato de cisne. E sabia que você pode casar ou renovar os votos no melhor estilo Las Vegas? Na Igreja do Elvis, você celebra o matrimônio com baladas românticas entoadas pelo sósia do Rei do Rock, podendo escolher tema da cerimônia, figurino e, ainda, ir embora de carruagem.

Para prestigiar as belezas naturais da região, a pedida é a Cascata do Caracol, cartão-postal de Canela. A queda d’água de 130 m está no Parque Estadual do Caracol, que também reserva trilhas ecológicas, mirantes, observatório etc. A partir de Canela e Gramado, é possível fazer tours para Cambará do Sul para conhecer seus imponentes cânions, destacando-se o Itaimbezinho e o Fortaleza.

Considerado o único fiorde do Brasil – e o único fiorde tropical do mundo –, o Saco de Mamanguá pode ser visitado a partir do vilarejo Paraty-Mirim, a 18 quilômetros do centro de Paraty. Comuns em países escandinavos como Dinamarca e Noruega, o fiorde é uma grande entrada de mar cercada por altas montanhas rochosas. O Saco do Mamanguá invade 8 quilômetros do continente, com uma incrível biodiversidade da Mata Atlântica, em uma região protegida com mais de 30 praias, dezenas de cachoeiras e comunidades caiçaras.

Paraty

Paraty é uma cidade histórica e encantadora no litoral do Rio de Janeiro. A cidade é repleta de belezas naturais, de belas praias a cachoeiras no meio da mata, mas também chama atenção por seu patrimônio histórico e obras humanas, como casarões coloniais, igrejas históricas e ruas de paralelepípedo, que contrastam com sua paisagem deslumbrante formada pela serra.

A cerca de quatro horas da capital do Rio de Janeiro, acaba sendo um chamariz de turistas para viagens bate-volta nos fins de semana, e é uma ótima fugidinha para os casais apaixonados em busca de sossego e cenários encantadores. Apesar da calmaria do cenário, Paraty também tem seus momentos de agito, como a Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) e o Festival da Cachaça.

Entre os programas a dois da cidade, além de curtir as ilhas e praias da região, dá para praticar mergulho, realizar trilhas e passeios de escuna, andar pelas ruas coloridas para conhecer construções e provar de sua gastronomia.

O que não deixar de fazer e conhecer: Uma viagem a Paraty não pode pular seu Centro Histórico, afinal ele é Patrimônio Nacional tombado pelo IPHAN e Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, reconhecido por esta como “o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso”. É fundamental conhecer pontos de interesse como as igrejas da Matriz e a Nossa Senhora das Dores, o Museu da Arte Sacra e o Teatro Espaço, além dos comércios, restaurantes e lojinhas que povoam esta região.

Em relação às praias, as urbanas Praia do Pontal e Praia do Jabaquara não são as melhores para banho, mas oferecem boa estrutura aos turistas. Para passar um dia à beira-mar, vale dar uma esticada até as praias de São Gonçalo e São Gonçalinho, sentido Angra dos Reis, com extensa faixa de areia, pequenas ondas, riacho de água doce e boa oferta de quiosques, assim como as praias da Vila de Trindade (Praia do Cepilho, dos Ranchos, do Meio e Praia Brava). Com ambiente selvagem e hospitaleiro, a Praia do Sono é considerada uma das mais bonitas de Paraty.

Centro Histórico de paraty

Entre as cachoeiras, as mais procuradas são a Cachoeira do Tobogã, famosa por ter uma pedra que serve de escorregador natural, e seguindo a trilha, o Poço do Tarzan, envolto por pedras com águas esverdeadas e cristalinas. O Poço da Usina tem seis metros de profundidade e é ponto de parada para apreciação antes de seguir passeio para a Cachoeira da Pedra Branca, com belas quedas d’água que permitem banhos, mergulhos e possui uma rocha com buraco oval, de onde é possível se esconder atrás da cortina de água.

Posts Relacionados