Paraíso Colorido

 Paraíso Colorido

Pequena ilha ao sul do mar caribenho, Curaçao atrai pela riqueza histórica, fervor cultural e praias de mar azul e areia branquinha

Um fascinante cenário tropical com praias de areia branquinha, água do mar azul-turquesa e clima de verão o ano inteiro. A bucólica imagem descreve com perfeição Curaçao, ilha localizada na região chamada de Pequenas Antilhas, na América Central, ao sul do Mar do Caribe, a poucos quilômetros da costa norte da Venezuela. São cerca de 40 praias ao redor da ilha, para todos os gostos, desde as mais desertas, em que tudo em volta é praticamente intocado, até outras com estrutura para o turista curtir o tempo inteiro.

Além das belezas naturais formidáveis, Curaçao é um país recheado de riqueza histórica, fervor cultural e arquitetura marcante que fazem da visita a esta ilha de 444 km² e pouco mais de 150 mil habitantes uma experiência inesquecível. E turistas não faltam por lá, afinal essa é a principal atividade econômica de Curaçao. De acordo com o Escritório de Turismo local (ETC), em 2021 a ilha recebeu mais de 265 mil visitantes, sendo 4.267 brasileiros.

Ponte Rainha Emma
Willemstad, a capital

Porta de entrada e cidade mais mais importante de Curaçao, a capital Willemstad é colorida, repleta de histórias, rica culturalmente e com um povo extremamente receptivo. A cidade é divida em quatro partes: Punda, Otrobanda, Pietermaai e Scharloo.

Designado como Patrimônio Mundial pela Unesco, o charmosíssimo centro histórico de Punda é um símbolo da cidade, com as várias casinhas coloridas em estilo holandês na Rua Handelskade, localizada ao lado do porto da baía de St Anna. Outro destaque de Punda são os mercadões, como o Flutuante, o Novo e o Velho (Plasa Bieu), com peixes, frutas, artesanatos e comidas típicas caribenhas. Na movimentada Praça Rainha Wilhelmina, o turista pode pousar para fotos nos letreiros “Curaçao” e “Dushi”, palavra esta que significa “querido” na língua local.

Playa Kenepa Grandi

Há ainda na região o Fort Amsterdam, projetado em 1634 como forte militar  e sede da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais. Hoje em dia no prédio está o governo de Curaçao. Na parte de trás do forte há uma igreja ativa desde 1635, com coleção de artefatos religiosos e mapas antigos da ilha.

Ao lado de Punda está Otrobanda, onde fica uma das principais marcas da cidade, a ponte Rainha Emma. Trata-se de uma ponte flutuante de 167 metros de comprimento para pedestres – é proibido o trânsito de automóveis – que cruza a baía, ligando as duas regiões. A ponte é articulada e abre para permitir a passagem de embarcações oceânicas.

Na área, há ainda o Rif Fort, construído para defender a cidade de piratas e saqueadores. O forte faz parte da lista de patrimônios da Unesco e, atualmente, grande parte do antigo complexo abriga um centro de compras e refeições. A história da cidade pode ser vista ainda nos museus como o Kurá Hulanda, com enfoque na cultura dos escravos da ilha, e no Museu de Curaçao, com a linha do tempo geológica da região, artefatos indígenas pré-colombianos, mapas e cartas de navegação do Caribe.

Rif Fort

Após passar por uma revitalização, o distrito de Pietermaai se tornou o lugar mais animado e boêmio de Curaçao. A região nasceu como um bairro residencial, mas aos poucos começou a atrair lojas e estúdios de arte. No bairro estão bares, café e restaurantes charmosos, com música de qualidade e ótimas opções de drinques e comida caribenha. Duas dicas de passeios gratuitos nessa parte da cidade são a Catedral da Rainha do Santíssimo Rosário e o Museu Nacional.

Já no distrito de Scharloo, há antigos edifícios restaurados e restaurantes. Museus também são o destaque dessa área: o Yotin Korta Money Museum (Museu do Dinheiro), gerenciado pelo Banco Central, traz a história do dinheiro no país, e o Museu Marítimo de Curaçao, às margens da baía de St Anna, que conta os séculos de história marítima da ilha.

Para quem visita Willemstad, é interessante ficar atento às datas das festas e festivais musicais que acontecem durante todo o ano e alegram turistas e a população local. A mais famosa celebração é o Carnaval de Curaçao, com duração de mais de um mês e vários desfiles, intercalados com festas de rua, trajes vibrantes, bailes de máscaras e muita música ao vivo, sendo uma ótima maneira de vivenciar o patrimônio e a cultura da ilha. Outros dois eventos muito aguardados são o North Sea Jazz Festival (agosto) e o Blue Seas Festival (abril).

Guia de Viagem

Como chegar: O país possui o Aeroporto Internacional Hato, a 20 minutos de distância do centro de Willemstad. Atualmente não há voos diretos entre o Brasil e Curaçao, sendo necessário fazer ao menos uma conexão. Brasileiros não precisam de visto para entrar na ilha, apenas passaporte válido.

Quando ir: De dezembro a março/abril é alta temporada, enquanto a média temporada acontece em meses como maio, setembro e outubro. Entre outubro e janeiro as chuvas são mais frequentes, mas pouco afetam o clima de calor e praia.

Hospedagem: Há hotéis espalhados por toda a ilha, tanto na capital quanto próximo às praias mais badaladas. Por ser um país em que o turismo é a maior fonte de renda, praticamente todos os locais de hospedagem contam com ótima estrutura.

Como circular: Alugar um carro é a melhor maneira para explorar Curaçao, além de ser apenas necessário apresentar a CNH. Em Willemstad, o ideal é passear a pé mesmo. Já as corridas de táxi costumam ser muito caras.

Gastronomia: A ilha desfruta de uma ótima variedade no cardápio, pronta para agradar a pessoas de diferentes países. Há desde pratos exóticos, com cactos e iguanas, até sabores mais comuns, como carnes, arroz, feijão e vegetais, passando ainda pelos frutos do mar.

Praias da ilha

O tour pelas magníficas praias de Curaçao pode começar com uma visita à Playa Kenepa Grandi. A cerca de 40 quilômetros de distância da capital, ela se parece com uma grande piscina natural devido a sua água transparente. O mar no local é calmo e há pequenos pedaços de corais na areia.

Também gratuita, mas um pouco mais longe de Willemstad, na parte noroeste da ilha, está a Playa Forti. Próxima à vila de Westpunt, nessa praia é possível observar vários barcos ancorados e um cenário paradisíaco. Apesar da faixa de areia quase inexistente, há vários bares e restaurantes para os visitantes poderem aproveitar o dia. Bem próximo está a Playa Piskado, famosa por ser ponto de mergulho e observação de tartarugas marinhas que vivem nesta altura do mar caribenho.

Playa Jeremi

Também no noroeste de Curaçao, está a Playa Jeremi. Grátis, pequena e charmosa, a praia é praticamente deserta, perfeita para quem busca por sossego e descanso. Na mesma região, está a aconchegante Playa Lagun. O local possui muitos pescadores e mergulhadores, além de ser cercada por dois paredões, um convite para saltar no mar azulado.

Mais próxima da capital está a Pirate Bay, praia pertencente a um restaurante e muito procurada por turistas. Apesar de ser uma praia particular, o acesso a ela é gratuito. É uma praia um pouco mais cheia que as demais, principalmente pela localização próxima aos hotéis. Já uma das melhores combinações de cenário natural e infraestrutura aconchegante está na Caos Abao Beach. De águas claras e palmeiras balançando no horizonte, essa praia particular – a entrada custa cerca de U$ 5 – possui bares, quiosques e restaurantes.

Mergulhadores amadores e profissionais procuram muito as águas transparentes e os recifes da Playa Porto Mari para exploração. Para acessar e desfrutar da estrutura do local e de suas barracas com opções de comidas e drinques, além de chuveiros, espreguiçadeiras e guarda-sóis, é preciso desembolsar U$ 3 por pessoa.

Centro de Willemstad

Também particular e com cobrança de entrada, a Jan Thiel Beach é muito famosa pelos beach clubs e restaurantes de estrutura impecável e oferta variada. A badalação, principalmente a noturna, costuma correr forte na praia particular Mango Beach, com festas comandadas por DJs famosos nas areias da praia.

Afastada da ilha principal e praticamente inabitada, a ilhota de Klein Curaçao (Pequena Curaçao) fica a duas horas de viagem de barco partindo de Willemstad. Ao visitá-la, o ideal é passar o dia, fazer mergulho nas águas cristalinas e desfrutar da tranquilidade do local. De estrutura bem simples, a pequena ilha tem somente um antigo farol e as poucas empresas de barco que levam os turistas oferecem serviços como café da manhã e almoço.

História de Curaçao

Curaçao é parte do que se chama de “Ilhas ABC”, grupo formado ainda pelas vizinhas Aruba e Bonaire. Ocupada pelos espanhóis a partir de seu descobrimento em 1499, Curaçao foi colonizada pela Holanda após esta vencer a luta pela independência, no século XVII. Em 2010, após referendo, Curaçao se tornou oficialmente um país dentro do Reino dos Países Baixos, sendo este ainda responsável pela manutenção da defesa e da política externa. O governador é o representante do rei, que é o verdadeiro chefe de estado. O idioma oficial do país é o papiamento, uma língua crioula que é uma mistura curiosa de espanhol, holandês, português e dialeto indígena, porém a maioria da população também é fluente em inglês, espanhol e holandês.

Mais belezas de Curaçao

O roteiro do passeio por Curaçao não fica preso somente à capital e às belas praias da ilha. Um exemplo são as Cavernas Hato, que possuem mais de 250 mil anos e foram descobertas há mais de 200 anos por escravos que viviam na região. Durante a excursão, sempre feita na presença de um guia, os turistas podem ver estalactites e estalagmites milenares, além de cachoeiras e piscinas naturais formadas dentro das cavernas.

Outro lugar que vale ser visitado é a vila de Sint Willibrordus, em Bandabou, a cerca de 25 quilômetros da capital. Na vila o que mais chama a atenção é a igreja em estilo neogótico, construída em 1888. Já para os interessados pela natureza, a observação dos bandos de flamingos nas salinas da região é algo que precisa estar incluído na programação de viagem.

Mercado Flutuante

A natureza selvagem da ilha está bem representada nos parques nacionais. O maior deles é o Christoffel Park que, além das belezas naturais, oferece uma experiência cultural e histórica excepcional, uma vez que dentro do parque está o Museu Savonet, uma encantadora casa colonial. As excursões guiadas desbravam oito caminhos diferentes e podem ser percorridas a pé, de bicicleta ou de jipe.

Próximo ao Christoffel está o Shete Boka National Park, fundado em 1994 e que abrange 10 quilômetros da costa norte de Curaçao. O parque possui terraços calcários costeiros e colinas que sustentam florestas, lagoas costeiras com leitos de ervas marinhas e manguezais e arbustos secos em solos vulcânicos. A variedade diversa e única de flora e fauna é incrível, incluindo um número de espécies raras ou encontradas apenas dentro dos limites do parque.

Posts Relacionados