50 anos de sonhos poderosos

 50 anos de sonhos poderosos

Completando cinco décadas de Brasil e de olho no futuro, a Honda se mantém como líder do segmento de motocicletas

Em 2021 faz exatos 50 anos que a Honda Motor Company Limited, uma das maiores fabricantes de motocicletas e automóveis do mundo, estabeleceu-se no Brasil. No dia 26 de outubro de 1971, em um pequeno escritório instalado no bairro da Pompeia, na cidade de São Paulo, a empresa deu início às operações da Honda Motor do Brasil Ltda. Atualmente, a Honda conta com mais de 1,3 mil concessionárias no Brasil, as fábricas de Manaus (AM) Sumaré (SP) e Itirapina (SP), e o depósito de peças de Jaboatão de Guararapes (PE). 

Fundada em outubro de 1946, na cidade japonesa de Hamamatsu, ainda com o nome de Honda Technical Research Institute, a empresa surgiu da cabeça do engenheiro Soichiro Honda e de seu fiel escudeiro Takeo Fujisawa. Com o slogan “The Power of Dreams” (em português, O Poder dos Sonhos), o plano de expansão atingia até mesmo o concorrido mercado norte-americano, onde a Honda Company chegou ainda no fim da década de 1950.

Sedã Grande Accord, primeiro automóvel da Honda que chegouu ao Brasil

As primeiras motos da fabricante japonesa vendidas no Brasil eram importadas, mas não demorou muito para as motocicletas Honda tomarem conta das ruas das principais cidades brasileiras, representando também um grande salto para a indústria dos veículos em duas rodas no país. Em 1974, a Honda comprou um terreno de 1,7 milhão de m² em Sumaré, interior de São Paulo. A ideia era instalar ali a primeira fábrica da empresa em solo brasileiro, porém, um ano depois, o governo vetou a importação de motocicletas, o que forçou os japoneses a antecipar o projeto e construir sua fábrica em Manaus, inaugurando assim, em 1976, a Moto Honda da Amazônia.

Na nova linha de montagem, localizada na Zona Franca, os japoneses trouxeram todo o conhecimento global de fabricação, qualidade de produto e visão de negócios da empresa, além de terem como vantagem a localização, o que permitia importar componentes do Japão com preço competitivo. 

XRE 190 ABS: Oferecida em duas versões, está disponível nas cores vermelho e azul perolizado com grafismos renovados e ampliação das áreas pintadas de preto, enquanto que na exclusiva XRE 190 ABS Adventure vem na cor fosco, cinza, com detalhes vermelhos e grafismos pretos. 

NT 1100: A nova moto para viajar da marca japonesa chega prometendo “uma nova era” das motocicletas touring da marca. Uma variação da Africa Twin 1100, ela é feita para longas distâncias. Sua vinda ao Brasil, porém, ainda não foi confirmada pela marca. 

NC 750X: Com nova aparência, agora mais moderna com faróis de led, potente, estilosa em um modelo mais largo e esportivo, a nova Honda promete várias novidades aos pilotos. Assim como o modelo anterior, o 2022 apresenta um baixo consumo de combustível.

Novo City: A terceira geração deverá estrear no último bimestre e será vendida em quatro versões. Uma delas será o acabamento Touring, inédita para o compacto. Porém, a nomenclatura topo de linha não virá acompanhada de motor turbo para o novo sedã compacto. 

CG, a mais vendida do Brasil

O ano de 1976 foi uma época bem especial para a Honda no país. Foi neste mesmo ano – ou seja, há 45 anos – que começou a ser produzida a primeira motocicleta da marca japonesa no Brasil. A Honda CG, na época acompanhada pelo número 125, correspondente ao número de cilindradas, tinha Pelé como garoto-propaganda em seu início e foi pioneira na introdução de tecnologias ao mercado, com melhorias no conforto, segurança e consumo de combustível, realizando uma popularização da mobilidade em duas rodas. 

A CG é o veículo mais vendido da história dos automotivos no Brasil, com 13,5 milhões de unidades vendidas. Atualmente, uma em cada três motocicletas 0 km comercializadas no Brasil é uma CG, de acordo com dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). A atual Honda CG está na mesma geração de 2015, quando foi apresentada a linha 2016. Seu motor subiu de cilindrada, o que mudou o nome da moto para CG 160, ganhando ainda um chassi mais leve e reforçado. 

Mas não é só da CG que sobrevive a Honda Brasil. Outros modelos históricos da marca japonesa no Brasil são a CB 400 (1979), a trail XL 250R (1982), a CBX 750 “Sete Galo” (1986) e a custom Shadow 600 (1995). E dos 10 modelos de motocicletas mais vendidos no país em 2020, sete são da marca japonesa. Além da eterna campeã de vendas CG em primeiro lugar, aparecem na lista a Biz (2º), a NXR 160 (3º), a Pop 110 (4º), a CB 250F Twister (5º), a PCX 150 (6º) e a XRE 300 (10º). 

Outros segmentos

Após o sucesso da fabricação de motocicletas, a Honda Brasil iniciou sua operação de automóveis. Em 1992, foi a vez do sedã grande Accord desembarcar no porto de Santos (SP), como o primeiro automóvel importado pela marca. Em 1997, foi inaugurada sua primeira fábrica de automóveis, em Sumaré e, em 2019, uma nova fábrica de automóveis foi construída pela Honda em Itirapina. Em 2020, a Honda chegou a marca de 2 milhões de automóveis fabricados no Brasil, sendo os principais modelos o Civic, o Fit, o City, o WR-V e o HR-V.

Honda Civic

Em Manaus, também são produzidos, desde 2001, os chamados Produtos de Força Honda. Atualmente, a empresa realiza a produção nacional de dois modelos de motores estacionários e três modelos de motobombas, além de oferecer a importação de roçadeiras, geradores e cortadores de grama, que são aplicações para a agropecuária, construção civil e jardinagem. 

Em 2008, foi instalado o setor de PowerTrain, com foco nas atividades de fundição e usinagem dos blocos e cabeçotes de motores. A marca ainda tem o pioneirismo da criação do Centro Educacional de Trânsito Honda, em Indaiatuba (CETH-SP), onde são ministrados cursos de formação de condutores e de pilotagem em vários estilos, além de eventos voltados para a imprensa. Lá também fica o Museu Honda, com uma exposição permanente de muitos dos modelos que marcaram a história da Honda no país. E assim com dezenas de criações, como o Banco Honda, o parque eólico Honda Energy, em Xangri-Lá (RS), o jato executivo Jet (fabricado nos Estados Unidos), a concepção de carros e scooters elétricos, a Honda vai trilhando os sonhos do futuro.

Posts Relacionados